quinta-feira, janeiro 06, 2011

Bernardo Collares morre no Fitz Roy



Fotos: Frase do Bernardo, retirada do orkut. Bernardo Collares.

Como já está rolando na internet muitas informações desencontradas sobre a morte de nosso grande amigo e grande personagem do montanhismo brasileiro, Bernardo Collares, gostaria de colocar aqui o texto explicativo do André Ilha. Este elucida alguns pontos a fim de evitar o falatório que se vê nesses casos em que há mortes no meio do montanhismo.

O Bernardo era um escalador carioca muito experiente e sua parceira de escalada Kika Bradford também. Tentaram a via Afanassief, no Cerro Fitz Roy, via enorme, mais de 2000m de extensão, escalada poucas vezes até hoje. Não era a primeira vez que a experimentavam, pois ano passado o Bernardo esteve por lá e já havia escalado um bom tanto da via.

Segue texto de André Ilha, escalador carioca e amigo dos dois escaladores envolvidos nesse trágico acidente:

Oi pessoal,

Falei longamente com a Kika há pouco (fisicamente, ela está bem, mas está arrasada), que me descreveu melhor os detalhes, mas não há nada muito diferente do que já foi divulgado, exceto pelo fato de que eles NÃO atingiram o cume do Fitz pela via Afanassief, embora tenham chegado muito próximo, e o acidente aconteceu logo no primeiro rapel - a ancoragem saiu, ou se rompeu ou a pedra se partiu, isso acho que nunca se saberá ao certo. A Kika desceu primeiro, nada aconteceu, e enquanto armava a segunda ancoragem o Bernardo voou; ela pegou a corda no reflexo, mas não teria conseguido segurar, claro, se a corda também não tivesse passado por acaso por trás de um bico de pedra. O resto ela própria poderá dar mais detalhes no momento possível.

Mas o importante agora é o seguinte: a imprensa, gostemos ou não, É assim, aqui e em qualquer lugar no mundo, pois ela é voltada para a opinião pública e a opinião pública quer sensacionalismo. Ninguém para na rua para ver um carro estacionando corretamente, mas sai correndo para ver quando há uma batida, por menor que seja.

Como vocês podem recordar muito bem, nas mortes do Mozart no Aconcágua, do Vitor Negreti no Everest, ou daquele cara cujo nome não me recordo na África, a imprensa deu um destaque absurdo, e a pior coisa que poderia acontecer agora seria deixar a coisa correr solta, publicarem ou falarem barbaridades e denegrir a imagem do esporte e dos nossos amigos - particularmente crucificarem a Kika por não ter permanecido no Fitz para morrer junto com o Bernardo e não fazer a única coisa lógica e racional possível que era descer para tentar um resgate de helicóptero, a única chance que ele teria de sobreviver, mas não teve. E, acreditem, só uma pessoa MUITO experiente e determinada como ela conseguiria sobreviver à inacreditável descida sozinha, seguida de travessia da geleira, com um bivaque ao relento sem saco de dormir, debaixo de neve o tempo todo. Foram mais de 50 rapéis, com a corda prendendo o tempo todo, e ela chegou na base com um pedaço de 17 metros e outro pouco maior das duas cordas originais de 60 metros...

Então, o papel de TODOS nós é contribuir para que a realidade da escalada em locais como a Patagônia seja mostrada com exatidão - já houve diversas outras mortes por lá nesta temporada - para que não venha mais uma bateria de projetos de lei estapafúrdios por aí, sendo que agora não temos mais o Bernardo para lutar contra eles...

Eu estou sendo caçado dia e noite por jornalistas de tudo quanto é órgão de imprensa para dar mais detalhes e, após falar previamente com as duas famílias, decidi atender a todos os que for possível (lembrando-os sempre de procurarem os diretores da FEMERJ, como Júlio e Bugim, que também já falaram com alguns deles) para esclarecer da melhor foma possível a situação. Até meia noite ligaram lá para casa, e hoje não consegui trabalhar nada... Mas vale a pena todo o esforço agora, pois além de as duas famílias serem um pouco poupadas assim, a gente consegue evitar manchetes e conteúdos muito ruins, cheios de coisas absurdas que gerarão ainda mais especulação infundada.

Por fim, lamentavelmente a situação do nosso amigo era diferente da do Joe Simpson ou de outros casos em que houve sobreviventes em condições miraculosas, pois as lesões dele foram terríveis. Esse é o grande diferencial.

Abraços e beijos,

André

7 comentários:

Augusto Mota disse...

Perfeita a leitura e posicionamento do Andre. Obrigado Edemilson.

SVicente disse...

O cara a que o André Ilha se referiu era o economista Gabriel Buchmann, de 28 anos, que morreu quando fazia trilha no monte Mulanje, no Maláui, na África.

Moysés Barsottelli disse...

E SEM DUVIDA ESCLARECEDOR ESSES COMENTARIOS ,POIS NOS QUE APOIAMOS OS ESPORTES E TORCEMOS POR NOTICIAS MILAGROSAS ,,,SEMPRE APRENDEMOS QUE ESTES ESPORTES RADICAIS ,COMO CAÇA SUBMARINA ,PARAQUEDISMO E TANTOS OUTROS COMO SURFAR NO HAVAI SOBRE TERRENO EXTREMAMENTE PERIGOSO ,ATE AOS ALPINISTAS E MONTANHISTAS ,QUE DEVEM CONHECER MINIMAMENTE DE METEREOLOGIA ,GEOLOGIA E PRIMEIROS SOCORROS ,E ATE DE SOBREVIVENCIA ,,POIS NAO BASTA TER TECNICA E MUITA FORÇA FISICA E SAUDE ,,,PARA VENCER AS VARIAVEIS INCONTROLAVEIS DE UMA AVENTURA DESSE PORTE ,,,O MEU QUERIDO BERNARDO COLLARES ,ME DIZIA "VEM FAZER MONTANHISMO E VC IRA CURAR SUA PRESSAO ALTA " E SORRINDO ME ESTIMULAVA A FAZER O ESPORTE ,,,MAIS ME FALTOU VIGOR FISICO E CORAGEM ,,,E VEJO AGORA AS NOTICIAS DE QUE SO A JUSTIÇA PODERA AUTORIZAR ,NA ARGENTINA O QUE RESTOU DE BERNARDO ,UM CORPO PETRIFICADO PELO GELO ,OU FRIO ,,,SE SE MORREU SO UMA AUTOPSIA PARA ESCLARECER A MORTE !! E QUE SE CONFIRMADA A MORTE QUE OS DIRIGENTES DESSE ESPORTE CAPACITEM COM NOÇOES BASICAS DE METEREOLOGIA ,GEOLOGIA (DE ROCHAS ...)PRIMEIROS SOCORROS ,E SOBREVIVENCIA ,,,PARA SO AI ESTIMULAR OS JOVENS A SUBIR OS PICOS E MONTANHAS ,,,,O BERNARDO MUITO EXPERIENTE E ESTUDIOSO ,TALVEZ COMO TODO AGUERRIDO ESPORTISTA ENFRENTOU AS INTREPERIES DESSE MONTE E INFELIZMENTE SOUBE ESPERAR QUE A SUA HEROICA COMPANHEIRA VOLTASSE PARA PEDIR AJUDA ,,,POREM NAO HAVIA PELO QUE SE LEU VIABILIDADES DE SOCORRO ,,,BERNARDO SO NOS RESTOU ORAR POR VC ,,,,SE PARTIU PRO SEU MAIOR FEITO SERA COROADO COM UMA COROA DE LOURO PELO PAI MAIOR ,,GUERREIRO DESCANSE EM PAZ!!

Moysés Barsottelli disse...

DEPOIS DE LER QUASE TUDO SOBRE O BERNARDO COLLARES RESOLVI COMO NEOFITO EM MONTANHISMO VER OS OUTROS ACIDENTES ,COMO OS DOS ALPINISTAS MOZART CATAO ,ALEXANDRE OLIVEIRA E OTHONLEONARDOS EM 3/2/1998 NO ACONCAQUA ,FRONTEIRA DA ARGENTINA E CHILE ,,RESOLVI VER NO YOU TUBE OS VIDEOS DE ROLANDO GARIBOTTI ,NAQUELA REGIAO E FIQUEI IMPRESSIONADO "IMAGENS FALAM MAIS QUE PALAVRAS " E FIQUEI PENSANDO COMO BERNARDO E ESSA JOVEM TIVERAM A CAPACIDADE DE ENFRENTAR AQUELA MONTANHA E MAIS COMO A JOVEM SOZINHA SOBREVIVEU ,APOS DEIXAR COM BERNARDO O SEU SACO TERMICO ,E APOS LER QUE NO DIA SEGUINTE ,DIA 4/1 HOUVE TEMPESTADE ,,,,COMO ELA SOBREVIVEU ????ESSA SOBREVIVENTE DEMONSTROU FORÇA ,CAPACIDADE E MUITA DETERMINAÇAO ,,POIS SERIAM DOIS A MORREREM ,,,,,VEJAM OS VIDEOS E FAÇAM SUAS REFLEXOES ....A MONTANHA COBROU O PEDAGIO DA OUSADIA DESSES JOVENS ,,E QUE OUSADIA ERAM 99.9%DE CHANCES DELES NAO VENCEREM A MONTANHA .....UMA MARATONA !!!!!!!!!!COM MAIS UM FINAL INFELIZ PARA OS AMIGOS ,JA QUE CREIO BERNARDO ,SEGUNDO UM AMIGO DELE ,DEVE FICAR LA ,,,E ESPERO QUE REENCARNE COMO UMA AGUIA ,E MORE NO TOPO DESTA MONTANHA FITZ ROY ,,,,NAO PRECISARA DE CORDAS E NEM SENTIRA O FRIO GELADO DESSAS GELEIRAS UM CONDOR REINARA NO TOPO DESTA MONTANHA ADEUS AMIGO CONDOR !!!MOYSES

Isabelle Duarte disse...

o julgo das pessoas infelizmente é secular. a Kika é uma referencia pra um verdadeiro montanhista. "E, acreditem, só uma pessoa MUITO experiente e determinada como ela conseguiria sobreviver à inacreditável descida sozinha, seguida de travessia da geleira, com um bivaque ao relento sem saco de dormir, debaixo de neve o tempo todo. Foram mais de 50 rapéis, com a corda prendendo o tempo todo, e ela chegou na base com um pedaço de 17 metros e outro pouco maior das duas cordas originais de 60 metros..."

não preciso expor mais nada. Indiscutivelmente ela foi uma heroina. Afinal, o herói nem sempre salva o mundo, mais luta pelo ideal até as ultimas consequencias.

Heliane Damiano Collares disse...

E da sua morte, quanto tempo? Quando aconteceu?
Face book
por Heliane Collares, sábado, 3 de Março de 2012 às 11:30 ·
1 ano e 2 meses do acidente, e da sua morte?

Quando aconteceu???

Meu filho ,Bernardo Collares Arantes, não morreu de hipotermia na 1ª noite.

Não enlouqueceu com a hipotermia e arrancou suas roupas.

Não estava tão ferido assim : fratura na bacia, possivel fratura de coluna e sangrando, como foi publicado na época por pessoas que se dizem entendidas no assunto.

Não estava em um estado que não pudesse se mexer ,sequer pegar a agua deixada ao seu lado.

Não se jogou para se livrar das dores terriveis.

Não chegou até à borda com mochila ,saco de dormir e manta térmica para se aliviar das suas necessidades fisiologicas.

Todos esses argumentos foram usados para se justificar a omissão de socorro e o sumiço do seu corpo que não foi encontrado no platô que estava vazio.



Pois bem, durante alguns dias 5 profissionais estiveram vasculhando a Super Canaleta, local onde ele poderia estar, caso alguma das hipóteses acima fosse verdadeira.

Do meu filho, Bernardo Collares Arantes, acharam NADA !!!

Encontraram sim, material de 10 anos atrás, porque ,excepcionalmente,a Super Canaleta estava completamente sem neve.

Verão igual a esse em El Chaltén não acontecia há 10 anos.



Portanto, o "moribundo" desescalou.

Sem cordas, tentou fazer escalada Solo como já estava treinando aqui no Pão de Açucar e no Pico Maior em Salinas, que, coincidentemente ,ou não, são os lugares onde ele escolheu para que suas cinzas fossem lançadas.



E meu filho ,Bernardo Collares Arantes,era tão bom no que fazia, que, com tudo contra: ferimentos (agora já não se sabe quais),nevasca, falta de equipamento, tentou descer e NÃO DESPENCOU, porque não está na Super Canaleta.

Nem ele, nem nenhum dos equipamentos que foram enumerados , que teriam ficado com ele e não estão no platô vazio !!!

Até agora ,meu filho, Bernardo Collares Arantes, encontra-se DESAPARECIDO !!!

Pocurando Bernardo disse...

Rodrigo Collares Arantes comentou:
Esta foto foi tirada no primeiro dia da escalada irresponsável e fatídica. Dois dias depois começariam os problemas.
Largado lá em cima para morrer pelas pessoas que poderiam fazer alguma coisa e se limitaram a declarar sua morte prematura logo nos primeiros dias;
Ignorado pelas autoridades argentina e brasileira na tentativa de viabilizar algum resgate durante os dias que se seguiram
Esquecido, por aqueles que dentro da Femerj o chamavam de “ETERNO”, nos 15 meses que se seguiram ao acidente
Abandonado lá em cima (ou em qualquer outro lugar) por aqueles que ele sempre fez questão de viabilizar o resgate (alpinistas brasileiros). 10 brasileiros fizeram o cume pelo mesmo caminho do Bernardo em um autêntico “passeio no parque” em fevereiro de 2012 para um lugar que inicialmente diziam ser impossível chegar. E todos se negaram a ajudar ou mesmo dizer alguma coisa eu teriam visto;
A grande verdade é que, além de não fazerem nada, os alpinistas brasileiros ainda tentaram convencer os poucos brasileiros que se prontificaram a ajudar a não fazerem nada. Atitude de marginais que tentaram, a todo custo, encobrir alguma coisa que não querem que apareça. Só não sabemos o que.
Os poucos brasileiros que se prontificaram a ajudar (e ajudaram muito) nos pediram segredo por medo de pressões de pessoas importantes no montanhismo brasileiro.
Infelizmente para eles, algumas verdades começam a aparecer:
1- A Gendarmeria começa a fazer as mesmas perguntas que nós fizemos no início e nos chamaram de tolos;
2- As versões de morte por hipotermia nas primeiras horas ou de queda acidental “caíram por terra” depois de contratarmos 5 gringos (isto mesmo, 5 gringos) que vasculharam toda a base da supercanaleta e áreas próximas onde ele deveria estar se as primeiras versões fossem verdadeiras.
3- Restou, por enquanto, apenas a tese de tentativa de autoresgate, o que reforça que nossos pedidos iniciais tinham todo o sentido;
4- Fica a pergunta do porque da pressão por não ajudar no resgate do corpo
5- Fica a sensação de que a operação abafa ainda não acabou.
Espero que cada uma dessas pessoas possa dormir tranquilo. Porque eu posso.
Abraço
4 de Junho às 21:21
·
Heliane Collares Vc disse tudo meu filho Rodrigo Collares Arantes.Qdo vc começou a questionar a veracidade da versão oficial, logo em seguida ao acidente, causou reações furiosas das pessoas que a aceitaram numa vassalagem voluntária. Na época, nós não dormiamos e estávamos perplexos com o decorrer dos acontecimentos. Saber que há uma pessoa viva esperando pelo resgate que ele mesmo pediu e a partir de uma avaliação equivocada, errada, decidiram que ele teria morrido na primeira noite! Como vc bem o disse. Será que eles dormem hoje??? E querem deixar o corpo dele poluindo um lugar considerado SAGRADO, por todos! As faces se deformando por causa do frio, como aqueles das fotos do Everest... Não, MEU FILHO não !!!!!!!!!! ·