terça-feira, abril 26, 2011

Ibitirati - PR






Para mim uma das montanhas mais significativas do Paraná. Apesar do matagal que é a parede toda, a aventura que ela proporciona é impressionante. Estive a primeira vez por lá em 1994. Tinha pouca experiência para enfrentar a gigante parede, uns 600 metros de escalada, a maior do estado. Só na terceira tentativa conseguimos escalá-la. Foi bem interessante, porque quando bivacamos no platô chamado Jean Claude (200m de altura) caiu uma tempestade. E no outro dia a parede estava seca e continuamos até o cume, onde outra tempestade nos alcançou!
A segunda vez foi para fazer a via Mar de Caratuvas em apenas um dia. Eu, Val e Willian. Fizemos em 17 horas, quase morremos de sede, pois levamos pouquíssima água.
Já a terceira vez foi uma escalada em solitário que fiz em 13 horas, saindo da Fazenda em Bairro Alto e chegando na Fazenda do Dilson. Outra vez calculei mal a maldita água...
Depois escalamos eu e o Val a Ecoxiitas. Via interessantíssima, quase toda em móvel.
Também abri duas vias na parede: 3 Chapas, com o Du Bois e o Ermínio e a Toca-toca o Pau na Mula, com o Val e o Wagner. Certamente a Toca-toca é a mais difícil que já fiz.
Ao todo já escalei 7 vezes a parede do Ibitirati, pois fiz com o Val uma repetição em um dia da 3 Chapas, em 19 horas.
Se vocês pensam que nunca mais quero ir para lá, não é bem assim. Quando estou no meio do matagal, penso: "Que que eu tô fazendo aqui?". Mas depois que chego em casa dá vontade de voltar. Não é fácil a vida de um montanhista...rsrs

4 comentários:

Trad Friends disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andrey Romaniuk disse...

Esse lugar tem um magnetismo incrível mesmo...
A sensação de alcançar o cume por esta parede não tem preço!

Jack Rocha disse...

Padilha, qual a via mais tranquila dessa empreitada? Qual o grau de dificuldade dela?

Carlos Silveira disse...

Fui um dos escaladores de 1987 e esta foi uma das vias inesquecíveis.

A equipe tb foi muito boa.

Achei umas fotos daquela escalada e deixei com o Chiquinho da Alto Estilo.

Abraço

Carlos Arruda